Protagonizando mais um cenário importante para pesquisa do Amazonas, o Centro Multiusuário para Análise de Fenômenos Biomédicos da Universidade do Estado do Amazonas (CMABio) iniciou nesta semana, de forma presencial, a segunda parte do Curso Prático de Microscopia Óptica Confocal e Microscopia Eletrônica de Varredura. As aulas estão sendo ministradas na Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA/UEA), pelos professores doutores Wanderley Souza, Makoto Enoki Caracciolo e Emilie Barrias.

De acordo com o professor Dr. Wanderlei Souza, a primeira fase do curso aconteceu totalmente de forma remota, com a participação de 50 alunos. O docente destaca que nesta segunda etapa, a coordenação decidiu pela forma presencial, seguindo todas as orientações de segurança, higiene e normas de distanciamento, com a presença no laboratório de apenas 15 alunos.

“É um curso prático com base em perguntas objetivas, onde ao final, os alunos irão mostrar os resultados dos trabalhos e pesquisas. São 15 estudantes selecionados nessa segunda fase, que estão aprendendo e trocando experiências”, disse Wanderley, que integra e coordena o projeto.

Para o aluno Joaquim Ferreira, o curso além de permitir uma maior qualificação profissional, fortalece a relação entre os grupos de pesquisas do Amazonas, aumenta a relevância dos estudos e possibilita um melhor entendimento sobre as análises. Joaquim pontua que a formação dos novos profissionais em microscopia de varredura impactará fortemente no desenvolvimento de estudo que tragam melhor qualidade e estilo de vida para comunidade como todo.

“Esse curso é extremamente significativo, pois nos permite verificar com riquezas de detalhes como estão acontecendo os eventos biológicos, principalmente no estado do Amazonas, com o mosquito Aedes aegypti, fungos, células e outras espécies. Os equipamentos do CMABio são de ultima geração, isso possibilita que tenhamos uma interação completa com o material analisado, situação que dificilmente poderia acontecer com os microscópios convencionais. O curso veio para somar com a comunidade de pesquisadores e agregar ainda mais com a sociedade através do conhecimento”, enfatizou.

O aluno Adrian Arturo, finalizou dizendo que “através dos novos conhecimentos adquiridos no curso e de toda tecnologia de ponta ofertada pelo CMABIO, os novos profissionais de microscopia poderão ajudar na eficiência do controle biológico, na mortalidade e na redução dos casos de doenças, uma vez que as pesquisas realizadas com mais precisão darão a verdadeira dimensão do problema e, consequentemente, da solução”.

Fonte: ASCOM UEA

Categorias: Comunidade

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *